logo

Institucional

Nosso Canal do YouTube!Nossas fotos no Flickr

47 ORGANIZAÇÕES INTEGRANTES DO SOS NL

Associações de bairros e condomínios

  1. ALPHAVILLE  - LAGOA DOS INGLESES
  2. ARVOREDO
  3. BELA VISTA
  4. BOSQUE DO JAMBREIRO
  5. BOSQUE DA RIBEIRA
  6. CABECEIRAS
  7. CHÁCARA DOS CRISTAIS
  8. CHÁCARA BOM RETIRO
  9. IPÊ
  10. IPÊ DA SERRA
  11. JARDIM DAS AMÉRICAS – BNH
  12. JARDINS DE PETRÓPOLIS
  13. JARDIM SERRANO
  14. JOSÉ DE ALMEIDA
  15. LE COTTAGE
  16. MORRO DO CHAPÉU
  17. OURO VELHO
  18. PASÁRGADA
  19. QUINTAS DO SOL
  20. RESIDENCIAL SUL
  21. RETIRO - OLARIA
  22. VALE DAS ARARAS
  23. VALE DOS CRISTAIS - NASCENTES
  24. VALE DO SERENO
  25. VALE DO SOL
  26. VEREDAS DAS GERAIS
  27. VILLAGE TERRASSE
  28. VILLE DE MONTAIGNE

Entidades e Ongs

  1. ACH
  2. AMAVISE - Ass. dos Moradores e Amigos dos bairros Vila da Serra, Vale do Sereno e Adjacências
  3. AMDA
  4. AMA/NL
  5. ARCA AMA SERRA
  6. ASCAP
  7. CASA CIDADANIA & DIVERSIDADE
  8. CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO/NL
  9. ECOJAMBREIRO
  10. FRENTE DO VETOR SUL
  11. IAB/MG
  12. MNLM
  13. OAB NL (CMA/NL)
  14. POLEN - COLÉGIO RUDOLF STEINER - MG
  15. PRANA/NL
  16. PRIMO - PRIMATAS DA MONTANHA
  17. PROMUTUCA
  18. SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVA LIMA
  19. SUBCOMITÊ DE BACIA HIDROGRÁFICA (Cardoso Cristais - Macacos- Rio do Peixe)

facebook


Vistas do Vale

Acompanhe o andamento da  ação civil pública pelo TJMG

Eventos Realizados

DIA DO MEIO AMBIENTE - 05/06/2016

CAMINHADA E ABRAÇO NO VALE DO MUTUCA - 18/05/2014

3 ANOS DE LUTAS E CONQUISTAS- 08/12/2013

SEMINÁRIO - MILTON CAMPOS - 10/09/2013

Audiência Vale dos Cristais - 04/10/2012

DEBATE ELEIÇÃO/NOVA LIMA - 19/09/2012

CARREATA - 05/11/2011

SEMINÁRIO - 30/04/2011

AUDIÊNCIA PÚBLICA  "VISTAS DO VALE" -  22/02/2011

PASSEATA - 08/12/2010
Carta aberta ao povo de Nova Lima

Cidadãos Novalimenses,

O município de Nova Lima destaca-se por riquíssimo patrimônio
natural, possuindo remanescentes de Mata Atlântica, expressiva
biodiversidade, densa rede hidrográfica dotada de diversos mananciais
responsáveis por quase a metade do abastecimento da região metropolitana
de BH e reservas expressivas de minério de ferro.

Empreendimentos de grande porte localizados no interior de áreas

reservadas à preservação ambiental vêm gradativamente mudando o cenário

da nossa região.

Áreas protegidas por legislação ambiental federal e estadual estão sendo
liberadas pelo poder público local sem o consentimento da comunidade.
Licenciamentos ambientais vêm ocorrendo à margem da legislação vigente,
sem a realização de audiências públicas e em prejuízo de criteriosas
avaliações de impacto nos âmbitos ambiental, econômico, cultural e
social.

O atual modelo de ocupação do solo caracteriza-se por um padrão de
urbanização submetido exclusivamente aos interesses do capital
imobiliário, que ao desencadear o gatilho do preço da terra, tem
reforçado a segregação socioespacial e acentuado os assentamentos em
áreas ambientalmente vulneráveis.

O Plano Diretor Municipal ao tramitar na Câmara Legislativa
Municipal sofreu drásticas alterações, principalmente o capítulo que
trata do meio-ambiente, sendo sancionado pelo executivo, tornando-se lei
municipal. No entanto, as modificações finais não foram debatidas com as
associações representativas dos vários segmentos da comunidade e
tampouco participadas à população. As exigências de publicidade e de
ampla participação popular na elaboração do plano diretor municipal,
garantidas por legislação federal, não foram observadas pela
municipalidade.

A atual legislação urbanística municipal permite, em grandes áreas
da cidade, correspondentes a áreas de preservação ambiental, construções
sem limite de verticalização. O adensamento populacional descontrolado
poderá provocar, entretanto, conseqüências desastrosas:

1- Nossos recursos hídricos, nossos mananciais, e nosso solo serão
gravemente poluídos. Ainda que sejam construídas novas Estações de
Tratamento de Esgoto, os efluentes sanitários não serão 100% tratados. A
ETE Vila da Serra, localizada às margens da MG-030, é prova
incontestável. Quem já não sentiu o odor por ela exalado?

2- Haverá um acréscimo de tráfego na MG 030 muito acima do suportável.

3- Haverá insuficiência de infra-estrutura e de serviços públicos
institucionais.

4- A intensa especulação imobiliária na região continuará a encarecer a
terra, tornando-a inacessível para os segmentos pobres da população
local. A falta de uma política pública habitacional, agravada pela
apropriação do espaço urbano por interesses privados do setor
imobiliário, continuará a empurrar as zonas de interesse social,
destinadas à moradia popular, para áreas de risco.

5- Com a expansão imobiliária e o crescente desmatamento, as áreas de
impermeabilização do solo aumentarão, ilhas de calor favorecerão o
aumento drástico das chuvas. Catástrofes, como a observada recentemente
na região serrana do Rio de Janeiro, poderão ocorrer. Engenheiros
geotécnicos, geólogos e urbanistas advertem quanto aos riscos de
ocupação em áreas de encosta, e  em áreas  de alta declividade,
instáveis por natureza e propícias a deslizamentos e processos erosivos.
O descumprimento de legislação ambiental reguladora das áreas de
preservação ambiental,  aliado às alterações climáticas, tem resultado
em sucessivas tragédias. Angra dos Reis, Morro do Bumba, Santa Catarina,
região serrana do Rio de Janeiro ...

Fiquem atentos! Sejam sábios!  Façam parte do SOS Nova Lima, Movimento
por uma ocupação sustentável, com desenvolvimento equilibrado e com
inclusão social. Vamos juntos defender a nossa cidade e a nossa vida!
Acessem o site www.sosnovalima.com.br e assinem o abaixo-assinado.