logo

Institucional

Nosso Canal do YouTube!Nossas fotos no Flickr

47 ORGANIZAÇÕES INTEGRANTES DO SOS NL

Associações de bairros e condomínios

  1. ALPHAVILLE  - LAGOA DOS INGLESES
  2. ARVOREDO
  3. BELA VISTA
  4. BOSQUE DO JAMBREIRO
  5. BOSQUE DA RIBEIRA
  6. CABECEIRAS
  7. CHÁCARA DOS CRISTAIS
  8. CHÁCARA BOM RETIRO
  9. IPÊ
  10. IPÊ DA SERRA
  11. JARDIM DAS AMÉRICAS – BNH
  12. JARDINS DE PETRÓPOLIS
  13. JARDIM SERRANO
  14. JOSÉ DE ALMEIDA
  15. LE COTTAGE
  16. MORRO DO CHAPÉU
  17. OURO VELHO
  18. PASÁRGADA
  19. QUINTAS DO SOL
  20. RESIDENCIAL SUL
  21. RETIRO - OLARIA
  22. VALE DAS ARARAS
  23. VALE DOS CRISTAIS - NASCENTES
  24. VALE DO SERENO
  25. VALE DO SOL
  26. VEREDAS DAS GERAIS
  27. VILLAGE TERRASSE
  28. VILLE DE MONTAIGNE

Entidades e Ongs

  1. ACH
  2. AMAVISE - Ass. dos Moradores e Amigos dos bairros Vila da Serra, Vale do Sereno e Adjacências
  3. AMDA
  4. AMA/NL
  5. ARCA AMA SERRA
  6. ASCAP
  7. CASA CIDADANIA & DIVERSIDADE
  8. CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO/NL
  9. ECOJAMBREIRO
  10. FRENTE DO VETOR SUL
  11. IAB/MG
  12. MNLM
  13. OAB NL (CMA/NL)
  14. POLEN - COLÉGIO RUDOLF STEINER - MG
  15. PRANA/NL
  16. PRIMO - PRIMATAS DA MONTANHA
  17. PROMUTUCA
  18. SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVA LIMA
  19. SUBCOMITÊ DE BACIA HIDROGRÁFICA (Cardoso Cristais - Macacos- Rio do Peixe)

facebook


Vistas do Vale

Acompanhe o andamento da  ação civil pública pelo TJMG

Eventos Realizados

DIA DO MEIO AMBIENTE - 05/06/2016

CAMINHADA E ABRAÇO NO VALE DO MUTUCA - 18/05/2014

3 ANOS DE LUTAS E CONQUISTAS- 08/12/2013

SEMINÁRIO - MILTON CAMPOS - 10/09/2013

Audiência Vale dos Cristais - 04/10/2012

DEBATE ELEIÇÃO/NOVA LIMA - 19/09/2012

CARREATA - 05/11/2011

SEMINÁRIO - 30/04/2011

AUDIÊNCIA PÚBLICA  "VISTAS DO VALE" -  22/02/2011

PASSEATA - 08/12/2010
Ministério Público pode custear plano de saneamento
Dom, 11 de Janeiro de 2015 19:49

 

Um terço tem menos de 50% da população com esgoto

http://www.otempo.com.br/capa/economia/minist%C3%A9rio-p%C3%BAblico-pode-custear-plano-de-saneamento-1.957564

PUBLICADO EM 06/12/14 - 04h00 – O tempo

Queila Ariadne

Em Minas Gerais, 21,39% dos domicílios não têm rede de esgoto nem fossa séptica, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dos 48 municípios que fazem parte da bacia do rio Paraopeba, 37 estão em situação pior, com índices que superam a média mineira. Em um terço deles, menos da metade das famílias é atendida. Para reverter essas estatísticas, o Consórcio Intermunicipal da Bacia Hidrográfica do rio Paraopeba (Cibapar) assinou nesta sexta um protocolo de intenções com as prefeituras para criar planos municipais de saneamento.

O Cibapar já realizou um projeto executivo, orçado em R$ 5,19 milhões, e está na fase de captação de recursos. Segundo o presidente do consórcio, Breno Carone, o dinheiro pode vir do Ministério Público Estadual (MPE). “Ainda estamos conversando, mas o órgão se mostrou bem aberto. Os recursos virão de medidas compensatórios acordadas em Termos de Ajustamento de Conduta (TACs)”, explica.

O Cibapar vai se responsabilizar pela elaboração dos planos de saneamento, mas quem buscará os recursos para executar as soluções indicadas serão as prefeituras. “Nós vamos fazer os estudos, com um diagnóstico de tudo que precisa ser feito para melhorar as condições de saneamento. As prefeituras poderão buscar recursos junto aos Ministérios das Cidades e da Integração”, ressalta.

Hoje, dos 48 municípios da bacia, apenas Ouro Branco e Contagem possuem planos de saneamento. E Ouro Preto já está em fase de elaboração. “Vamos prestar assessoria e fazer um raio X das necessidades de serviços como drenagem ou construção de estações de tratamento, por exemplo. Se tem água limpa, reduz o custo com saúde ”, afirma.

O protocolo foi assinado nesta sexta, durante o encerramento do 1º Fórum das Águas do Cibapar, em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte. Além dos planos municipais de saneamento, também foram lançados um Plano de Recursos Hídricos para a bacia do Paraopeba e foi discutida a importância de programas de reuso da água.

Com baixo volume de chuvas, custo de operação sobe 20%

São Paulo
.O Operador Nacional do Sistema (ONS) divulgou nesta sexta a primeira revisão das projeções de volume de chuvas e nível de reservatórios para o mês de dezembro, e as indicações mostram números menos favoráveis do que aqueles anunciados há uma semana. A sinalização de menor volume de chuvas nas regiões Sudeste e Sul levou o operador a elevar o custo marginal de operação (CMO) semanal de R$ 549,83/MWh na semana passada para R$ 659,76/MWh, valor válido para os quatro subsistemas (Sudeste, Sul, Nordeste e Norte).

A despeito da elevação de 20%, o patamar do CMO indica que o preço de liquidação das diferenças continuará abaixo do patamar teto (R$ 822,83/MWh) estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).