logo

Institucional

Nosso Canal do YouTube!Nossas fotos no Flickr

47 ORGANIZAÇÕES INTEGRANTES DO SOS NL

Associações de bairros e condomínios

  1. ALPHAVILLE  - LAGOA DOS INGLESES
  2. ARVOREDO
  3. BELA VISTA
  4. BOSQUE DO JAMBREIRO
  5. BOSQUE DA RIBEIRA
  6. CABECEIRAS
  7. CHÁCARA DOS CRISTAIS
  8. CHÁCARA BOM RETIRO
  9. IPÊ
  10. IPÊ DA SERRA
  11. JARDIM DAS AMÉRICAS – BNH
  12. JARDINS DE PETRÓPOLIS
  13. JARDIM SERRANO
  14. JOSÉ DE ALMEIDA
  15. LE COTTAGE
  16. MORRO DO CHAPÉU
  17. OURO VELHO
  18. PASÁRGADA
  19. QUINTAS DO SOL
  20. RESIDENCIAL SUL
  21. RETIRO - OLARIA
  22. VALE DAS ARARAS
  23. VALE DOS CRISTAIS - NASCENTES
  24. VALE DO SERENO
  25. VALE DO SOL
  26. VEREDAS DAS GERAIS
  27. VILLAGE TERRASSE
  28. VILLE DE MONTAIGNE

Entidades e Ongs

  1. ACH
  2. AMAVISE - Ass. dos Moradores e Amigos dos bairros Vila da Serra, Vale do Sereno e Adjacências
  3. AMDA
  4. AMA/NL
  5. ARCA AMA SERRA
  6. ASCAP
  7. CASA CIDADANIA & DIVERSIDADE
  8. CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO/NL
  9. ECOJAMBREIRO
  10. FRENTE DO VETOR SUL
  11. IAB/MG
  12. MNLM
  13. OAB NL (CMA/NL)
  14. POLEN - COLÉGIO RUDOLF STEINER - MG
  15. PRANA/NL
  16. PRIMO - PRIMATAS DA MONTANHA
  17. PROMUTUCA
  18. SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVA LIMA
  19. SUBCOMITÊ DE BACIA HIDROGRÁFICA (Cardoso Cristais - Macacos- Rio do Peixe)

facebook


Vistas do Vale

Acompanhe o andamento da  ação civil pública pelo TJMG

Eventos Realizados

DIA DO MEIO AMBIENTE - 05/06/2016

CAMINHADA E ABRAÇO NO VALE DO MUTUCA - 18/05/2014

3 ANOS DE LUTAS E CONQUISTAS- 08/12/2013

SEMINÁRIO - MILTON CAMPOS - 10/09/2013

Audiência Vale dos Cristais - 04/10/2012

DEBATE ELEIÇÃO/NOVA LIMA - 19/09/2012

CARREATA - 05/11/2011

SEMINÁRIO - 30/04/2011

AUDIÊNCIA PÚBLICA  "VISTAS DO VALE" -  22/02/2011

PASSEATA - 08/12/2010
Por um Plano Diretor sustentável para Nova Lima
Sex, 09 de Junho de 2017 19:15

Garantir um futuro sustentável para Nova Lima começa com a elaboração de um bom Plano Diretor. Este vai muito além de um simples ordenamento do uso e ocupação do solo. Um Plano Diretor deve apontar as aspirações futuras em relação ao desenvolvimento do município.

Um bom Plano para Nova Lima deve considerar muitas perguntas. Como serão as receitas do município após o encerramento da exploração mineral? O município conseguirá sobreviver apenas com o IPTU? O nível de devastação ambiental do município terá deixado alguma compensação no futuro? Nova Lima quer de fato se tornar uma cidade dormitório de Belo Horizonte? Vale a pena trocar a capacidade de captação de água de Bela Fama por novos empreendimentos imobiliários e minerações? Vamos de fato abrir mão dos nossos corredores ecológicos para agradar meia dúzia de pessoas? Infelizmente o atual Plano Diretor não contempla essas questões.

No início dos anos 2.000, o conceituado urbanista Jorge Wilhein propôs um Plano Diretor para Nova Lima, muito bom para aquela época. Ao passar pela Câmara e ser sancionado pelo Prefeito, ele foi desfigurado em diversos pontos. Na gestão passada, chegamos a acreditar que o município faria a revisão do Plano Diretor. Havia uma equipe realmente interessada em fazê-la. Mas a revisão do Plano foi engavetada.

Atualmente, o processo de revisão do Plano Diretor de Nova Lima está em curso, e toda a sociedade, sem exceção, deveria acompanhá-lo. É fundamental que os vereadores participem das discussões, respeitem e não alterem as proposições da sociedade. Eles devem procurar conhecer os problemas sociais e ambientais, buscando uma perspectiva de futuro sustentável para o município. Devem trabalhar junto com a sociedade na construção de um Plano Diretor que aponte para um futuro melhor para seus habitantes e seus descendentes.

O Plano Diretor de Nova Lima deveria mostrar, de forma clara, uma proposta de desenvolvimento econômico sustentável, no curto, médio e longo prazo. Portanto, não se trata de resultados econômicos para os empreendedores e sim das consequências sobre as contas do município: gastos e receitas previstas. É preciso analisar, cuidadosamente, as possibilidades de impactos ambientais e sociais do Plano proposto no curto, médio e longo prazo.

As principais receitas de Nova Lima derivam hoje da exploração mineral ou dos empreendimentos imobiliários. Num médio prazo, Nova Lima deveria caminhar em direção à construção de um conjunto de receitas que se baseie em baixos adensamentos populacionais, baixo impacto social e ambiental e que inclua os descendentes dos mineradores em uma nova atividade econômica. Uma possibilidade é atrair para Nova Lima as pessoas que trabalham de forma SOHO (Small Office Home Office) na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Pessoas das áreas de informática, contabilidade, tradução, redação, design e outras profissões que, cada vez mais, possam prescindir da proximidade geográfica para execução do seu trabalho.

Essas atividades gerariam outras receitas para o município e oportunidades para seus cidadãos. Pessoas poderiam ser atraídas para um município tranquilo, cuidadoso com o meio ambiente, com baixo adensamento, bom transporte público, bom sistema de comunicação de dados, próximo a BH, com alto IDH. Esta é uma das possíveis saídas para o desenvolvimento sustentável de Nova Lima. Porém, quaisquer que sejam os caminhos propostos, eles deveriam ser analisados sob os critérios da sustentabilidade econômica, social e ambiental.

 

Julio Grillo
Membro do Conselho do Promutuca, do Conselho do SOS Nova Lima, do Conselho da Cidade de Nova Lima e do Conselho de Política Ambiental do Estado de Minas Gerais - COPAM URC-Velhas

05/06/2017
Artigo solicitado pelo jornal A Banqueta